03 agosto 2010

Veja que interessante!!!

Leonardo Da Vinci (1452-1519)

A Monalisa e seu enigmático sorriso foram inspirados em uma modelo viva, Lisa Gherardini, terceira esposa de um rico mercador florentino, Francesco Del Giocondo, dezenove anos mais velho. Francesco encomendou um retrato da mulher para pendurá-lo na sala de jantar. Lisa começou a posar em 1503. Leonardo da Vinci (1452-1519) levou quatro anos fazendo o trabalho e jamais chegou a concluí-lo como desejava. É que Francesco ficou impaciente com a demora, proibiu sua mulher de continuar posando e não pagou pela obra. O rei francês Francisco I comprou o quadro para decorar o seu banheiro e pagou o equivalente a 15,3 quilos de ouro.
Um crítico de arte, 1568, escreveu; “Enquanto pintava o retrato dela, Leonardo contratou pessoas que cantavam e tocavam para manterem-na alegre, eliminando aquela ponta de melancolia que o fato de posar acarreta”.
Alguns estudiosos dizem que Monalisa poderia ser Constanza d’Avalos, amante de Giuliano de Médici. Há também quem sustente que Leonardo da Vinci teria pintado um quadro de Monalisa nua. O quadro e os seus esboços nunca foram encontrados.
Monalisa não tinha sobrancelhas. Era moda na Renascença raspá-las. (fonte: Livro “O Guia dos Curiosos” de Marcelo Duarte, Editora Cia das Letras – pág. 342).

O Roubo de "Monalisa"

O  Museu do Louvre, em Paris, estava fechado para limpeza no dia 21 de agosto de 1911. Um empregado chamado Vecenzo Peruggia tirou o famoso quadro de Monalisa (77 x 53 cm) de sua moldura e tomou a direção da rua. Ela ficou durante dois anos escondida no fundo falso de um baú do apartamento de Peruggia. Quando o caso parecia esquecido, ele tentou vender a pintura ao governo italiano por 95 mil dólares. As autoridades italianas o prenderam e devolveram a obra aos franceses. No seu julgamento em Florença, Peruggia alegou que seu ato foi motivado por um puro patriotismo – queria ver o quadro de volta ao país de seu criador. Acabou recebendo uma pena leve: um ano e quinze dias.
Em 1963, o quadro foi avaliado em cem milhões de dólares. (fonte: Livro “O Guia dos Curiosos” de Marcelo Duarte, Editora Cia das Letras – pág. 343).

Michelangelo (1475-1564)

Ao terminar uma de suas obras-primas, a estátua Moisés, Michelangelo passou por um momento de alucinação diante da beleza da escultura. Bateu com um martelo na estátua e começou a gritar: “Fala! Fala!”. (fonte: Livro “O Guia dos Curiosos” de Marcelo Duarte, Editora Cia das Letras – pág. 344). 

Pablo Picasso (1881-1973)

O quadro mais importante de Pablo Picasso foi Guernica. Em abril de 1937, o general Francisco Franco comandava o exército rebelado contra o governo republicano espanhol. Para demonstrar o poderio militar que tinha à sua disposição, Franco pediu ao aliado Adolf Hitler que enviasse uma esquadrilha de bombardeiros para destruir uma cidade da Espanha. A escolhida foi Guernica, arrasada completamente. Picasso ficou indignado com essa brutal destruição e pintou o quadro de 7,76 x 3,39 metros para o pavilhão espanhol na Feira Mundial de Paris. Guernica ficou no Museu de Arte Moderna de Nova York até 1981. A pedido do próprio Picasso, o quadro só foi devolvido à Espanha quando ela voltou a ser um país democrático. (fonte: Livro “O Guia dos Curiosos” de Marcelo Duarte, Editora Cia das Letras – pág. 345/346).

Texto extraído do site http://www.gatopreto.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário